quinta-feira, dezembro 25, 2008

Feliz Natal


Eu, Vítor e o Eduardo desejamos a todos um feliz e lindo Natal!

sexta-feira, novembro 28, 2008

Sala Informatizada

Em quatro semanas trabalhei duas aulas na sala informatizada com meus alunos de 3ª série da EEB Vereador Guilherme Zeuge olhem o resultado:

UMA pena perdida.

Era uma patinha muito feliz.

Quando uma peninha caiu, ela não tinha percebido.

Então resolveu falar com o galo.

Ela então perguntou:

-Galo você viu minha peninha?

-Não, talvez a raposa tenha visto.

Então a patinha olhou.

e falou:

-Eu não vou ir lá,porque eu tenho muito medo.

(Letícia e Bruna)

A PATINHA E A PENA PERDIDA.

A patinha saiu para passear no parque e

perdeu sua pena e saiu desesperada a sua

procura e perguntou para o galo:

-Você viu uma pena branca voando por ai?

-Eu não, mas a raposa deve saber .

-Obrigado mesmo assim.

E a patinha não perguntou a raposa porque ela estava com medo.

(Eliza e Juliana)

A PATA SEM PENA

Era uma vez uma pata que saiu para passear .

E sem perceber caiu uma pena de sua asa .

E logo viu que faltava uma pena de sua asa branca.

E perguntou para a vaca se tinha visto a pena de sua asa.

-Não ! respondeu a vaca, -Pergunte a raposa .

-Encarar a raposa nunca! disse a pata.

(Carlos Eduardo e Carlos Roberto)

A PATINHA

Era ma vez a patinha saiu e perdeu sua pena no caminho.

Ela perguntou ao o galo:

-Você viu minha pena galo?

O galo respondeu:

-Não vi sua pena pata.

-Pergunte para a raposa.

E ela não foi falar com a raposa.


(Ariane e Raquel)

A PATINHA

A patinha perdeu a pena da sua asa

e foi ao galo perguntar e o galo disse:

-Eu não vi, talvez a pena saiu por que já estava

na hora de sair, mas pergunte a raposa.

Com medo da raposa a pata não perguntou mais nada.



(Iara e Pamela)

A PATINHA

Era uma vez uma patinha que perdeu a pena.

E ela perguntou ao galo :

-você viu minha pena?

O galo respondeu:

-Eu vi com a raposa

E nesse instante a patinha falou:

-Mas Eu prefiro ficar sem uma pena do que ir lá perguntar para a rap

FIM

(Karoline e Pamela Leal)

A PATINHA E A PENA

A Patinha saiu para passear e perdeu a pena da asa.

E foi perguntar para o galo e o galo disse que não viu e também disse que a

raposa deveria ter visto.

E a Patinha viu a raposa de longe e disse e para o galo que ela tinha medo.

-Mas vale perder uma pena do que a vida.

(Lenyn e Daniel)



terça-feira, outubro 28, 2008

Flores


experimento do curso Novas Formas de Aprender

COMUNHÃO VÍTOR E EDUARDO

Que Deus permaneça em nossos corações!
Parabéns filhos.

terça-feira, outubro 07, 2008

Plano de Aula

Plano de Aula
Seu Plano de Aula (planejamento) para a atividade sugerida, dev

Seu Plano de Aula (planejamento) para a atividade sugerida, deve conter:


  • Dados da Instituição (Escola);

  • Nome do(s) Professor(es) e respectiva(s) disciplina(s);

  • Publico alvo;

  • Tema: (Evolução e Diversidade);

  • Objetivo;

  • Duração e/ou Cronograma;

  • Conteúdo;

  • Estratégias;

  • Recursos utilizados;

  • Avaliação (“quesitos” que serão avaliados) e

  • Referências (sítios, livros, revistas, etc).


OBS.: Sugerimos que ao pesquisar em sítios na Internet, você já copie e cole o endereço (URL) do mesmo.


Semana da Ciência e Tecnologia



EVOLUÇÃO E DIVERSIDADE

EVOLUÇÃO E DIVERSIDADE

"Evolução e Diversidade... Uma Semana que é a cara do Brasil
Em 2008 a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia ocorrerá entre 20 e 26 de outubro. Durante esta Semana vamos promover, divulgar e debater em todo o país temas e assuntos de ciência e tecnologia, por meio das atividades mais diversas. Em muitas cidades brasileiras elas ultrapassarão os muros de instituições de pesquisa, universidades e escolas e se espalharão por locais públicos, por exemplo, em tendas e estandes da ciência. Elas serão convites permanentes para a curiosidade e a participação de todos; nelas estarão crianças, jovens e adultos observando, experimentando, questionando, trocando idéias, aprendendo e se divertindo.

O tema principal da SNCT em 2008 será Evolução e Diversidade. Serão debatidos assuntos como: a evolução da vida; a seleção natural; a evolução social e a diversidade biológica, ambiental, étnica e cultural, a partir dos conhecimentos diversificados da ciência. A teoria da evolução pela seleção natural está completando 150 anos em 2008. Os trabalhos pioneiros de Charles Darwin e Alfred Wallace, que dependeram também de suas incursões pela natureza tropical, em particular no Brasil, foram decisivos para mudar a nossa visão de mundo. A evolução da vida está escorada e é fonte da diversidade biológica. Por outro lado, a sociedade humana tem ampla gama de diversidades étnicas, culturais e sociais. A diversidade é também uma característica forte de nosso País e uma de suas maiores riquezas. Ela está na natureza brasileira. Está na cultura brasileira. Está nas línguas brasileiras. Está nas visões diversificadas da sociedade brasileira. Está na cara dos brasileiros.

Deve ser enfatizado que as atividades da SNCT não se restringem ao tema principal, mas abarcam todos os assuntos ligados, de algum modo, à ciência e tecnologia. Mas se estimula que atividades sobre o tema principal sejam organizadas em todo o país. Convidamos todas as instituições ligadas ao ensino e à pesquisa, assim como todas as pessoas interessadas, a divulgarem e participarem ativamente da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia de 2008."

(Ildeu de Castro Moreira)

REFERÊNCIA
SEMANA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA

EVOLUÇÃO E DIVERSIDADE

quinta-feira, outubro 02, 2008

Tutorial para criar Blog

Site recomendado Como ajuda para Criação de um blog no Blogger.com

sábado, setembro 27, 2008

Encontro dos NTEs

No dia 26/9 houve o encontro dos ntes de Joinville, Blumenau, Itajaí,Brusque Canoinhas e São Bento do Sul na GERED da cidade de São Bento do Sul.
a agenda foram:

terça-feira, setembro 23, 2008

Curso Linux 40 horas


Dia 22/09/2008 realzou-se o encontro presencial do curso linux 40horas onde foram aplicado o Writer e o impress aplicativos do sistema operacional LINUX 1.0 e 2.0 com os seguintes cursistas:

Adjanini Sestrem
Angelina Thiesen
Carlos Cezar Ferreira
Deise Cristina Da Costa Gonçalves
Gerson Padilha Do Canto
Ieda Mello
Isabel Leonardo Fernandes
João Carlos Rita
Juliano Ferreira
Jurema Ventura
Ludmila Marcilio
Mariane Sohn
Mariloi Spagnol De Quadros
Marlina Bressan Bonelli Lima
Nirma Elias Machado
Ricardo Salamon
Roberta Cardoso Silva
Stella Maris Carvalho Souza Fronza
Tommy Fischer

sábado, setembro 13, 2008

Saida do Hotel


No dia 12/09 final de curso esperando táxi para ir a rodoviária.

Publicação do poeta Alberto Tornaghi

Em cena
Para Paula Pother

Na platéia, um rosto.
No rosto, um sorriso.
No sorriso, discreta luz.
Um sorriso...
Discreto, ninguém mais o via
Luminoso, clareava meu falar.
Eu falando do palco
Ela brilhando na platéia.
Eu no centro do palco
Ela no centro do meu olhar
( Alberto Tornaghi)
video

SEED Educação a Distância




Nos dias 10, 11 e 12 realizou-se no hotel Castel em Florianópolis o encontro dos coordenadores e multiplicadores dos NTEs da região sul.
Paráná
Santa Catarina
Rio Grande do sul
Para a discussão de Tecnologias na Educação ensinando e aprendendo com as TIC.

2ª parte do Hino Nacional Brasileiro



Executamos a 2ª parte do hinoNacional brasileiro no dia 4/09/2008
3ª serie 01 da E>E>B> Vereador Guilherme Zeuge

terça-feira, setembro 02, 2008

CIDADANIA


Esse foi um trabalho realizado para o projeto CARACTER CONTA pilar da CIDADANIA

sexta-feira, agosto 29, 2008

DINÂMICA DA BULA (apresentação)


Jogos e Dinâmica em Grupo:

Título Bula de Remédio
Objetivo Apresentação
Duração Depende do número de participantes
N° Mínimo de Participantes 0
N° Máximo de Participantes 0
Material para Aplicação Caneta e papel para todos os participantes.
Procedimento Cada participante deve se apresentar como se fosse um remédio informando:
- Seu nome
- Nome fantasia do remédio
- Contra-indicações
- Efeitos colaterais
- Posologia (modo de usar)
Variações
Observações
Fonte Livro: Focalização de Jogos em t&D - Magda Vila & Paula Falcão
Enviada por Georgette Iara Ullmann Heineck
Data 20/12/2005

quinta-feira, agosto 14, 2008

INVEJA

Éum dos sentimentos mais difíceis de serem eliminados da alma humana.
Um dos vicios que causa sofrimento na humanidade.
Onde houver apego a materialidade das coisa.
Seu significado- objeto de desejo- bem- estar, statos a inveja sobrevoa o pensamento mais intimo- vingança- falcidade.
As mulheres é que me perdoam elas são pródigas nesse tipo de expediente inferioridade imoral, egoismo, vaidade, cobiçar, orgulho e imoralidade.

BEM- ESTAR
Desejar algo com humildade e sinceridade não é inveja.

OS INVEJOSOS HISTÓRICOS
Fariseus, Saduceos, Judas e Barrabas.
O invejoso passa para o boicote, vai minando com fofocas e pequenas atitudes estratégicamente montada afim de destruir o novo trabalhador da doutrina.
Quer provar, ao menor para si mesmo que o espaço dele é somente dele.
A inveja é uma das facetas de destruição dejenerado ela conduz o invejoso ao exterminio e a ruína de si mesmo.
" Puxa que belo quadro, gostaria de te- lo pintado"
" Que livro interessante, gostaria de te- lo escrito"
" Caramba que sacana porque não tive essa idéia antes?"

sexta-feira, agosto 08, 2008

Cartões para o dia dos pais

Cartões criados com a 3ª série 01- E.E.B.Guilherme Zeuge.
Prof. Jamir Adolfo Correa.
Veja alguns modelos de cartões para o Papai. Você poderá fazer o cartão no eva ou no papel.







terça-feira, junho 24, 2008

Passeio virtual


O que é blog?
Não custa nada dar uma ajudinha para os calouros da internet que ainda não sabem o que é uma das maiores febres da rede:
Blog é um diário online no qual você publica histórias, idéias ou imagens.
Criar e atualizar seu blog é fácil e rápido: você só precisa de uma idéia na cabeça e um mouse na mão.

terça-feira, junho 17, 2008

LINUX


O que é Linux

É ao mesmo tempo um kernel (ou núcleo) e o sistema operacional que roda sobre ele, dependendo do contexto em que você encontrar a referência. O kernel Linux foi criado em 1991 por Linus Torvalds, então um estudante finlandês, e hoje é mantido por uma comunidade mundial de desenvolvedores (que inclui programadores individuais e empresas como a IBM, a HP e a Hitachi), coordenada pelo mesmo Linus, agora um desenvolvedor reconhecido mundialmente.
O Linux adota a GPL, uma licença livre - o que significa, entre outras coisas, que todos os interessados podem usá-lo e redistribuí-lo. Aliado a diversos outros softwares livres, como o KDE, o GNOME, o Apache, o Firefox, os softwares do sistema GNU e o OpenOffice.org, o Linux pode formar um ambiente moderno, seguro e estável para desktops, servidores e sistemas embarcado.Acima você vê 4 telas do sistema operacional Linux em ambiente PC desktop. Mas o sistema funciona em dezenas de outras plataformas, desde mainframes até relógios de pulso, passando por várias arquiteturas: Intel, StrongARM, PowerPC, Alpha etc., com grande penetração também em dispositivos embarcados, como handhelds, PVR, vídeogames e centrais de entretenimento.
Linux ou GNU/Linux?
A Free Software Foundation advoga que o sistema operacional formado pelo núcleo Linux e o conjunto de utilitários e aplicativos que incluem aqueles desenvolvidos pelo seu projeto GNU deve ser chamado de GNU/Linux, e não simplesmente de Linux. A questão tem sido objeto de intensos debates há anos, sem que um posicionamento geral e definitivo seja alcançado.
Naturalmente a posição da FSF não é a única existente. São conhecidas as declarações de Linus Torvalds (que acharia interessante a existência de uma distribuição chamada GNU Linux e mantida pelo projeto GNU), de Eric Raymond e de John Dvorak, entre outros. Há ainda uma interessante citação da própria FSF afirmando que um nome como GNU/X11/Apache/Linux/TeX/Perl/Python/FreeCiv seria absurdo, portanto é necessário estabelecer um limite. Mas, diz ela, “Não pode ser justo dar todo o crédito para uma contribuição secundária (Linux) enquanto se omite a contribuição principal (GNU).” Outra citação digna de nota vem de um editorial do veterano Linux Journal: “Talvez Richard Stallman esteja frustrado porque Linus recebeu as glórias por ter feito aquilo que Stallman pretendia fazer.”
O kernel Linux
Inicialmente, o kernel Linux foi desenvolvido como um hobby por Linus Torvalds (então um estudante) com o objetivo de desenvolver seu próprio sistema operacional “Unix-like” que rodasse em processadores Intel 80386. Linus chegou a estudar o Minix, um sistema similar de autoria do famoso acadêmico Andrew Tanenbaum, mas não ficou satisfeito com a arquitetura deste (que não era um software livre, inclusive) e resolveu criar o seu próprio sistema. O projeto Linux foi publicamente lançado em 1991 em uma famosa mensagem para a Usenet.
Hoje o Linux é um kernel híbrido monolítico. Drivers de dispositivo e extensões do kernel tipicamente rodam com acesso total ao hardware, embora alguns rodem em espaço de usuário. Ao contrário dos kernels monolíticos padrão, os drivers de dispositivo são facilmente configurados como módulos, e carregados e descarregados enquanto o sistema está rodando. Também ao contrário de kernels monolíticos padrão, drivers de dispositivo podem ser pré-inseridos sob certas condições. Essa última característica foi adicionada para corrigir o acesso a interrupções de hardware, e para melhorar o suporte a multiprocessamento simétrico.
Embora Linus Torvalds não tenha tido como objetivo inicial tornar o Linux um sistema portável, ele evoluiu nessa direção. Linux é hoje, na verdade, um dos kernels de sistema operacional mais portados, rodando em sistemas desde o iPaq (um computador portátil) até o IBM S/390 (um volumoso e altamente custoso mainframe), passando por várias arquiteturas: Intel, StrongARM, PowerPC, Alpha etc., com grande penetração também em dispositivos embarcados, como handhelds, PVR, vídeogames e centrais de entretenimento.
De qualquer modo, é importante notar que os esforços de Linus foram também dirigidos a um outro tipo de portabilidade. Portabilidade, de acordo com Linus, era a habilidade de facilmente compilar aplicativos de uma variedade de origens no seu sistema; portanto o Linux originalmente se tornou popular em parte devido ao esforço para que fosse fácil fazer com que códigos de aplicativos disponíveis para outros sistemas (inclusive no Unix e no sistema GNU) rodassem no Linux.
Hoje, Linus Torvalds continua a dirigir o desenvolvimento do kernel, enquanto outros subsistemas (como ferramentas de desenvolvimento, ambientes gráficos e aplicativos) são desenvolvidos independentemente. A tarefa de integrar todos estes componentes para formar um sistema completo é desempenhada pelas empresas e organizações que mantêm distribuições de Linux.
O sistema operacional Linux (ou GNU/Linux)
Logo que Linus Torvalds passou a disponibilizar o Linux, ele apenas disponibilizava o kernel (núcleo) de sua autoria juntamente com alguns utilitários básicos. O próprio usuário devia encontrar os outros programas, compilá-los e configurá-los e, talvez por isso, o Linux tenha começado a ter a fama de sistema operacional apenas para técnicos. Foi neste ambiente que surgiu a MCC (Manchester Computer Centre), a primeira distribuição Linux, feita pela Universidade de Manchester, na tentativa de poupar algum esforço na instalação do Linux.
Hoje em dia, um sistema operacional Linux completo (ou uma “distribuição de Linux”) é uma coleção de softwares (livres ou não) criados por indivíduos, grupos e organizações ao redor do mundo, tendo o Linux como seu núcleo. Companhias como a Red Hat, a Novell/SUSE, a Mandriva (união da Mandrake com a Conectiva), bem como projetos de comunidades como o Debian, o Ubuntu, o Gentoo e o Slackware, compilam o software e fornecem um sistema completo, pronto para instalação e uso.
As distribuições de GNU/Linux começaram a ter maior popularidade a partir da segunda metade da década de 1990, como uma alternativa livre para os sistemas operacionais Microsoft Windows e Mac OS, principalmente por parte de pessoas acostumadas com o Unix na escola e no trabalho. O sistema tornou-se popular no mercado de servidores, principalmente para a Web e servidores de bancos de dados, inclusive no ambiente corporativo - onde também começou a ser adotado em desktops especializados.
No decorrer do tempo várias distribuições surgiram e desapareceram, cada qual com sua característica. Algumas distribuições são maiores outras menores, dependendo do número de aplicativos e sua finalidade. Algumas distribuições de tamanhos menores cabem em um disquete com 1,44 MB, outras precisam de vários CDs, existem até algumas que tem versões em DVD. Cada uma tem seu público e sua finalidade.
Veja também a questão O que é uma distribuição de Linux.
Download ou aquisição do Linux
Embora provavelmente a forma mais fácil de obter o Linux seja através dos CDs distribuídos como brinde em diversas revistas nacionais (escolha sempre uma versão recente!), o jeito mais fácil de obter sua cópia sem desembolsar nada a mais é através do download de imagens ISO, que são arquivos (geralmente por volta de 650MB cada um) trazendo o conteúdo completo de um CD-ROM, prontos para serem gravados em um CD, permitindo assim que você obtenha cópias idênticas de um CD original. Verifique na ajuda do seu programa favorito de gravação de CDs como fazer para gravar a partir de uma imagem ISO - quase todos os programas populares dispõem deste recurso, e a operação em geral é simples.
Algumas distribuições (como o Knoppix e o brasileiro Kurumin) são especialmente disponibilizadas na forma de Live CDs, capazes de rodar diretamente do CD e dispensando instalação no disco de seu computador - é uma boa forma de ter seu primeiro contato.
Como o Linux é um software livre, a maior parte dos produtores disponibiliza imagens ISO contendo exatamente o mesmo conteúdo dos CDs vendidos em lojas ou na Internet, e você pode fazer o que quiser com elas - até mesmo gravar em CDs para revendê-las (e se você quiser comprar CDs deste tipo, lojas virtuais brasileiras como a Tempo Real e a LinuxMall estão à disposição). Quando se trata de Linux, este tipo de cópia e revenda não é irregular nem anti-ético, pois é da essência do software livre.
Você pode procurar suas imagens ISO no site de sua distribuição preferida - às vezes será necessário fazer o download de mais do que uma imagem, e em outros casos o download da primeira imagem é obrigatório, e o das outras é opcional. Raras são as distribuições que não disponibilizam imagens ISO de instalação.
Se preferir, procure no site linuxiso.org, cuja especialidade é apontar links para imagens ISO dos CDs das distribuições de Linux do mundo todo.
Como se trata de um download grande (uma distribuição em 3 CDs corresponde a quase 2GB de dados), certifique-se de ter espaço suficiente no seu HD, e utilize um bom gerenciador de download.

quarta-feira, junho 04, 2008

Curso Linux 40 h

NOME


Adriana voigt
Ana Lúcia Faraco
Ananda Batista Dos Santos
Aramis Wolk
Clea Souza
Daniela Bibow Velo
Eliane Gonçalves Lopes Tomelin
Eliane Santana Alves Bittencourt
Jair Antonio Delvan
Jaqueline Lopes
Joice Cristina Ribeiro
Juliane Moser
Kezia Dos Santos Lima
Liana Iankoski
Maria aparecida Figueredo
Marta Izidoro
Nayara Duarte E Silva
Nilce Lourdes Nehls
Osmar Closs
Rosemeri Melo Melo
Sandra Maria Bittencourt De Oliveira
Stella Maris Carvalho Souza Fronza
Walquiria Ricci



Esses são os professores da formação continuada a distância cujo tutor sou eu.

sexta-feira, março 28, 2008

rotina da semana

De segunda a sexta no período da manhã ia para a escola lecionar para minha turma de 3ª série, no príodo da tarde começava na GERED apartir das 16:00 hrs e no período da manhã aplicava o curso de formação continuada SALTO PARA O FUTURO com a série CURRICULO E RELAÇÃO ÉTNICA AFRO- BRASILEIRO com a participação de 19 professores da rede estadual de ensino.

sábado, março 22, 2008

Radio

http://www.kboing.com.br

terça-feira, março 11, 2008

ATIVIDADES DO DIA

fUI A PSICÓLOGA NO PERÍODO DA MANHÃ E ME DIRIGI A ESCOLA APLIQUEI AVALIAÇÃO DE MATEMATICA .
NO PERÍODO DA TARDE FUI AO DENTISTA ONDE RECEBI ATESTADOE FUI PARA CASA REPOUSAR.

sábado, março 08, 2008

AO DIA INTERNACIONAL DA MULHER!


Mulher nova, bonita e carinhosa faz o homem gemer sem sentir dor

(Zé Ramalho e Otacílio Batista)

Numa luta de gregos e troianos
Por Helena, a mulher de Menelau
Conta a história de um cavalo de pau
Terminava uma guerra de dez anos
Menelau, o maior dos espartanos
Venceu Páris, o grande sedutor
Humilhando a família de Heitor
Em defesa da honra caprichosa
Mulher nova, bonita e carinhosa
Faz o homem gemer sem sentir dor

Alexandre figura desumana
Fundador da famosa Alexandria
Conquistava na Grécia e destruía
Quase toda a população Tebana
A beleza atrativa de Roxana
Dominava o maior conquistador
E depois de vencê-la, o vencedor
Entregou-se à pagã mais que formosa
Mulher nova bonita e carinhosa
Faz um homem gemer sem sentir dor

A mulher tem na face dois brilhantes
Condutores fiéis do seu destino
Quem não ama o sorriso feminino
Desconhece a poesia de Cervantes
A bravura dos grandes navegantes
Enfrentando a procela em seu furor
Se não fosse a mulher mimosa flor
A história seria mentirosa
Mulher nova, bonita e carinhosa
Faz o homem gemer sem sentir dor

Virgulino Ferreira, o Lampião
Bandoleiro das selvas nordestinas
Sem temer a perigo nem ruínas
Foi o rei do cangaço no sertão
Mas um dia sentiu no coração
O feitiço atrativo do amor
A mulata da terra do condor
Dominava uma fera perigosa
Mulher nova, bonita e carinhosa
Faz o homem gemer sem sentir dor

LANÇAMENTO DE LIVRO


HOJE POR MAIS QUE SEJA O DIA BELO A BELEZA SE RESUME EM UMA MULHER MINHA AMIGA ESCRITORA QUE LANÇARÁ SEU LIVRO HOJE VEJAM ISSO É EXEMPLO!

sexta-feira, março 07, 2008

ANIVERSÁRIO DE JOINVILLE




HOJE A ATIVIDADE DE SALA SERÁ O HINO DE JOINVILLE CANTADO E CONFECÇÃO DE BICICLETAS E FLORES UTILIZANDO TAZOS COMO MATERIAL.

quinta-feira, março 06, 2008

É BOA!


COMPREI MEU CARRO!!!!!!!

4º BIMESTRE

Língua Portuguesa
Objetivos específicos:
Produzir e articular textos diversos, considerando
aspectos da intertextualidade.
Utilizar coesão e coerência na produção
e interpretação de textos de diferentes tipos.
Empregar indicadores para fazer antecipações
e inferências em relação ao conteúdo de textos diversos
(tipo de portador, características gráficas, estilo do autor
ou conhecimento do gênero) e à intencionalidade.
Aplicar a escrita como recurso de estudo: tomar notas,
compor textos coerentes a partir de trechos oriundos
de diferentes fontes, fazer resumos, contextualizando
itens da gramática formal e funcional.
Usar o dicionário sistematicamente, com ajuda,
como suporte na elaboração, revisão e criação de textos
(orais e escritos).
Articular a busca de informações/pesquisa,
consultando fontes de diferentes tipos (jornais, revistas,
enciclopédias), com orientação do professor, uso
de diversos acervos e biblioteca.
Utilizar recursos eletrônicos para o registro
de situações de comunicação oral e escrita tanto
para documentaçã
o como para análise.
Utilizar textos extraverbais com códigos
não lingüísticos (formas, cores, sons, gestos).
Conteúdos:
Textos de gêneros diversos: convite, teatro /
dramatização, diário pessoal, história em quadrinhos.
Intertextualidade.
Itens da gramática formal (na leitura e produção
de textos):
Discurso direto e indireto.
Por quê ? Por que...? porque, porquê (diferentes
usos e grafias).
Verbos: 1ª, 2ª e 3ª conjugações.
Tempos verbais: presente, passado e futuro.
Palavras oxítonas, paroxítonas e proparoxítonas
(aprofundamento).
Dicionário (uso sistemático).
Pesquisa.
Produção e leitura: textos para dramatização.

Matemática
Objetivos específicos:
Analisar, interpretar e resolver situações-problema,
utilizando conceitos e técnicas convencionais da divisão.
Estabelecer relação entre multiplicação e divisão.
Identificar regularidades na seqüência numérica
para nomear, ler, escrever, comparar, ordenar, compor
e decompor números naturais até centena de milhar.
Efetuar adição, subtração, multiplicação e divisão
por meio de estratégias pessoais e técnicas
convencionais na resolução de situações-problema.
Analisar e comparar diferentes estratégias de cálculo.
Reconhecer números decimais em situações
do cotidiano.
Ler, escrever, comparar e ordenar um número decimal.
Empregar conceitos e procedimentos de cálculo
mental e escrito para resolver situação-problema
envolvendo números decimais.
Reconhecer a unidade monetária brasileira (real)
e distinguir cédulas de moedas.
Empregar procedimentos de cálculo mental e escrito
para resolver situações-problema envolvendo preços,
pagamentos e troco de cédulas e moedas.
Desenvolver estratégias de verificação e controle
de resultados pelo uso da calculadora.
Reconhecer, representar e calcular o perímetro
de alguns polígonos, a partir de situações concretas.
Interpretar tabelas e gráficos na resolução
de situações do cotidiano.
Conteúdos:
Divisão:
Exata e não exata.
Divisor com 2 algarismos.
Sistema de numeração decimal até 999999:
Centena de milhar.
Valor posicional.
Operações:
Adição.
Subtração.
Multiplicação: multiplicador com 1 e 2 algarismos.
Divisão: divisor com 1 e 2 algarismos.
Números decimais (até décimo):
Leitura.
Escrita.
Adição.
Subtração.
Sistema Monetário.
Perímetro.
Leitura de gráficos e tabelas.

História
Objetivos específicos:
Analisar a construção da trajetória de movimentos
de libertação da expressão e da organização
político-econômica.
Compreender que as melhorias nas condições
de vida, os direitos políticos, os avanços técnicos
e tecnológicos, as transformações socioculturais,
são conquistas decorrentes de conflitos e acordos, ainda
não usufruídos por todos os seres humanos e, dentro
das possibilidades, empenhar-se em democratizá-las.
Compreender o crescimento urbano da cidade
vinculado a expansão turística e a importância da mão-deobra.
Situar os principais acontecimentos políticos, sociais,
econômicos e culturais atuais.
Identificar a participação de grupos catarinenses que
lutavam no passado, por suas causas políticas, sociais,
culturais, étnicas, religiosas e econômicas.
Valorizar o patrimônio sociocultural e respeitar
a sociodiversidade, reconhecendo-a como um direito
dos povos e indivíduos e um elemento de fortalecimento
da democracia.
Conteúdos:
Santa Catarina e século XX.
A defesa dos direitos dos trabalhadores: o sindicalismo.
Expansão urbana da cidade: construção dos canais,
transportes, comunicação, serviços públicos, comércio,
surgimento de novos bairros.
Década de 50: turismo e migração nordestina..
Santa Catarina: atualidades.
Cultura catarinense (teatro, grandes construções,
pontos turísticos, personalidades, vultos santistas).
Roteiro histórico de Santa Catarina.

Geografia
Objetivos específicos:
Identificar os diferentes meios de transporte
de Joinville, bem como as principais vias de circulação
que ligam a cidade com os demais municípios do Estado
de Santa Catarina.
Estabelecer diferenças entre o transporte rural
e o transporte urbano.
Reconhecer a importância dos meios de transporte
para o desenvolvimento das comunidades.
Reconhecer a influência dos meios de comunicação
nos hábitos de consumo e desenvolver uma consciência
crítica diante dos produtos consumidos.
Reconhecer a importância do meio de comunicação
na aproximação das pessoas e das comunidades.
Identificar os serviços públicos mantidos pelo governo
municipal, relacionando-os às suas finalidades.
Concluir que a população deve participar na solução
dos problemas da comunidade local.
Reconhecer as formas de administração municipal e
estadual, destacando a representatividade e a cidadania.
Conteúdos:
Meios de transporte (urbano e rural) e de comunicação
(jornal, TV, rádio, outros) da região:
Serviços do Município: saúde, educação,
abastecimento de água, saneamento básico, energia
elétrica e programas assistenciais.
Movimentos populares.
ONGs e associações (de bairro e beneficentes).
Aspectos políticos (poder legislativo, executivo
e judiciário):
Administração do Município.
Administração do Estado.

Ciências
Objetivos específicos:
Pesquisar em diferentes fontes (revistas, jornais, leitura
de imagens) a utilização e as conseqüências da utilização
de materiais obtidos por diferentes processos.
Reconhecer a atmosfera com a camada de ar que
envolve a terra.
Identificar alguns elementos que compõem o ar
(oxigênio, gás carbônico).
Constatar a existência do ar em elementos vazios.
Reconhecer que o vento é o ar em movimento.
Verificar a relação entre are a queima dos materiais.
Compreender que é impossível criar energia e que,
quando necessitamos de algum tipo de energia, devemos
obtê-la utilizando alguma forma de energia já existente
na natureza e que pode ser transformada.
Observar e identificar no ambiente as diferentes formas
de manifestação de energia (luz, calor, eletricidade e som).
Identificar os efeitos do calor na vida diária.
Verificar que tanto a matéria quanto a energia podem
ser transformadas para oferecer variadas utilidades,
por meio de recursos tecnológicos.
Constatar que a matéria e a energia são imprescindíveis
na vida do homem e reconhecer que são recursos
que os seres humanos utilizam em suas atividades.
Perceber que, o homem busca tanto a matéria quanto
a energia, de acordo com os recursos de que pode dispor
no ambiente.
Comparar e classificar equipamentos, utensílios,
ferramentas, relacionando o seu funcionamento à utilização
de energia, para se aproximar da noção de energia como
capacidade de realizar trabalho.
Reconhecer e nomear fontes de energia que são utilizadas
por equipamentos ou são produtos de suas transformações.
Reconhecer que para nos mantermos vivos, temos
que nos alimentar e que nosso organismo retira a energia
dos alimentos.
Observar os combustíveis usados nos transportes
e para o preparo e fabricação de alimentos.
Conhecer atitudes e providências contra acidentes
causados pelo fogo, pelo calor e pela eletricidade.
EFCiclo 1-3ª serie Ok.pmd 46 16/03/04, 15:07
Conteúdos:
Atmosfera e ar.
Principais elementos de composição do ar.
O movimento do ar.
Ar e combustão.
A energia no planeta.
Formas diferentes de energia (térmica, luminosa,
elétrica, solar, dos combustíveis, eólica).
Transformações da energia (luz, calor) e seus efeitos.
Utilizações da matéria e energia pelo homem.
Alimentos como fonte de energia.
Prevenção de acidentes.
Buscar, coletar, organizar e registrar dados por
intermédio de desenhos, quadros, tabelas, esquemas,
listas, textos etc.

Ensino Religioso
Objetivos específicos:
Adotar no dia-a-dia atitudes de solidariedade, cooperação, tolerância e repúdio às injustiças, respeitando o outro e exigindo para si o mesmo respeito;
Desenvolver espírito de participação adquirindo critérios para a formação de seus juízos de valores e aprofundando as motivações para a autêntica cidadania;
Perceber o direito à diferença na construção de estruturas religiosas que têm na liberdade o seu valor inalienável;
Conteúdos:
Valor da religião na vida das pessoas;
Socialização de dados coletados;
Interpretação e comparação das diferenças entre vários tipos de textos escritos e orais: parábolas, mitos, histórias;
Diálogo inter-religioso;
Valorização da troca de idéias e opiniões;
Cooperação;
Autoconfiança;
Autoconhecimento;
Auto-estima;
Adoção de atitudes de repúdio às discriminações;
Questionamento da realidade que o cerca;
Adoção de atitudes de solidariedade, justiça, valorização das amizades;
Reflexão sobre a responsabilidade de cada um na sociedade;
Reflexão sobre as desigualdades de oportunidades em nossa sociedade.
Comemoração do natal.

quarta-feira, março 05, 2008

3º BIMESTRE

Língua Portuguesa
Objetivos específicos:
Ler e produzir textos de gêneros diversos, considerando
aspectos da intertextualidade, articulados à gramática
formal e funcional.
Utilizar coesão e coerência na produção e interpretação
de textos de diferentes tipos.
Detectar o uso excessivo de "e", "daí", "então", entre
outros vícios de linguagem, substituindo-os pelos recursos
coesivos e pela introdução de conectivos mais adequados
à língua-padrão e expressões que marcam temporalidade,
causalidade, entre outras circunstâncias.
Utilizar estratégias de escrita com base nos itens
da gramática formal e funcional: planejar o texto, redigir
rascunhos, revisar e cuidar da apresentação, com orientação.
Usar o dicionário sistematicamente, com ajuda,
como suporte na elaboração, revisão e criação de textos
(orais e escritos).
Articular a busca de informações/pesquisa,
consultando fontes de diferentes tipos (jornais, revistas,
enciclopédias), com orientação do professor, uso
de diversos acervos e biblioteca.
Utilizar recursos eletrônicos para o registro
de situações de comunicação oral e escrita tanto
para documentação como para análise.
Utilizar textos extraverbais com códigos
não lingüísticos (formas, cores, sons, gestos).
Conteúdos:
Textos de gêneros diversos: mitos, fábulas, lendas,
poemas, canções, quadrinhas, parlendas, trava-língua,
piadas, cheque (preenchimento), passagem de ônibus,
ingresso para eventos, cartão-postal.
Textos extraverbais (exemplo: música, pintura,
fotografia, escultura, dança etc.).
Leitura e interpretação de texto.
Produção de texto coletiva e individual.
Intertextualidade.
Itens da gramática formal (na leitura e produção
de texto.):
Frases: afirmativas, interrogativas, negativas
e exclamativas.
Separação de sílabas; sílaba tônica.
Palavras oxítonas, paroxítonas e proparoxítonas.
Expressões de temporalidade: quando, enquanto,
logo que, depois que, até que, depois que etc.
Expressões de causalidade: porque, portanto,
visto que, já que, como etc.
Verbo (infinitivo).
Dicionário (uso sistemático).
Produção e leitura: contos de assombração.

Matemática
Objetivos específicos:
Identificar regularidades na seqüência numérica
para nomear, ler, escrever, comparar, ordenar, compor
e decompor números naturais até dezena de milhar.
Analisar, interpretar e resolver situações-problema,
aplicando os conceitos e as técnicas convencionais
da divisão.
Efetuar adição, subtração e multiplicação por meio
de estratégias pessoais e técnicas convencionais
na resolução de situações-problema.
Compreender a necessidade de medir em situações
do cotidiano e reconhecer a importância das medidas,
utilizando as unidades de medidas de capacidade
e tempo, na resolução de problemas.
Ampliar o significado do número natural pelo seu uso
em situações do dia-a-dia.
Construir o significado do número racional e de suas
representações (fracionária e decimal), a partir de seus
diferentes usos no contexto social.
Identificar a fração como uma expressão da divisão
do inteiro em partes iguais.
Identificar o número fracionário como o quociente
indicado de dois números naturais em que o divisor
é diferente de zero.
Identificar o número fracionário como a razão entre
dois números naturais em que o divisor é diferente
de zero, utilizando-o na ampliação e redução de figuras
geométricas (uso de malhas).
Ler, escrever e comparar números racionais
de uso freqüente na forma fracionária.
Reconhecer, por meio de figuras geométricas, que um
número fracionário possui diferentes formas de representação.
Efetuar adição e subtração com números fracionários
de mesmo denominador.
Calcular a fração de uma quantidade.
Interpretar tabelas e gráficos na resolução de situações.
Conteúdos:
Sistema de numeração decimal até 99999:
Dezena de milhar.
Valor posicional.
Símbolos (>, <, = e ≠).
Divisão:
Exata e não exata.
Divisor com 2 algarismos.
Operação inversa.
Por 10, 100 e 1000.
Operações:
Adição.
Subtração.
Multiplicação.
Operações inversas.
Medidas:
Capacidade: litro e mililitro.
Tempo: horas e minutos.
Números naturais e racionais (fracionários
e decimais):
Diferentes significados: parte-todo, quociente (divisão)
e razão.
Comparação.
Frações equivalentes.
Adição e subtração com o mesmo denominador.
Fração de uma quantidade (sendo a fração < 1).
Leitura de gráficos e tabelas.


História

Objetivos específicos:
Caracterizar o papel político e a importância
da Independência do Brasil.
Perceber a relação entre o patriarca da Independência.
Reconhecer movimento abolicionista e replubicano.
Compreender a substituição do trabalho escravo pelo
trabalho assalariado.
Identificar os principais grupos imigrantes e as
influências culturais transmitidas à população.
Conhecer as principais manifestações folclóricas de
Joinville e estado.
Contextualizar o deslocamento de grupos
de imigrantes, seu modo de vida e sua inserção
nas atividades econômicas.
Conteúdos:
A Independência do Brasil:
Dom Pedro I
José Bonifácio.
A Abolição da Escravatura e a Proclamação da
República.
A Imigração:
A substituição do trabalho escravo e a importância dos
imigrantes na formação da população Catarinense.
Folclore de Santos:
Lendas, músicas, brincadeiras, comidas típicas, festas
e outros.

Geografia
Objetivos pecíficos:
Reconhecer semelhanças e diferenças nos modos que
os diferentes grupos sociais se apropriam da natureza e a
transformam, identificando os principais movimentos
migratórios, as relações de trabalho e os hábitos
cotidianos.
Reconhecer as principais atividades econômicas
desenvolvidas na região.
Relacionar o desenvolvimento do município ao trabalho
da comunidade municipal.
Identificar atividades profissionais dos habitantes
da região.
Pesquisar atividades industriais desenvolvidas
no Município e estado.
Identificar comércio como compra, venda ou troca
de produtos.
Identificar as atividades comerciais desenvolvidas
no município e estado.
Identificar diferentes serviços prestados à população,
relacionando-os aos locais de trabalho.
Reconhecer a importância do município e estado
destacando a inter-relação nas atividades econômicas e turísticas.
Identificar e reconhecer a importância econômica
e social do Estado e país.
Identificar os principais produtos importados
e exportados pela cidade e estado.
Reconhecer a importância do porto na geração
de empregos diretos e indiretos.
Conteúdos:
Aspectos humanos:
Tipos humanos da região.
Migração e imigração.
Educação e esporte.
Profissões do município.
Ocupação do espaço físico de Joinville e estado.
✓ Aspectos econômicos da região:
Extrativismo: pesca artesanal e industrial, extração
do caranguejo, plantação de palmito, banana e outros).
Agricultura e pecuária.
Indústria: pesqueira / pólo industrial.
Ocupações formais e informais.
Prestação de serviços.
Turismo do município.
O porto:
Contribuição econômica e social.
O trabalhador portuário.
Exportação e importação.
Atividades econômicas vinculadas ao porto.

Ciências

Objetivos específicos:
Recolher informações, organizando-as e registrando-as
de diferentes maneiras.
Interpretar as informações e estabelecer relações
de causa e efeito e constatar que o homem é o grande
responsável pelas alterações do ambiente.
Comunicar de modo oral, escrito e por meio de
desenhos, perguntas, suposições, dados e conclusões,
respeitando as diferentes opiniões.
Realizar manejo de material e montagens experimentais.
Formular e verificar hipóteses, por exemplo, para
descobrir qual a melhor posição para o reservatório
de água.
Utilizar os acontecimentos vividos para construção
das noções de passado, presente e futuro.
Responsabilizar-se pelo cuidado com os espaços
que habita e com o próprio corpo, incorporando hábitos
possíveis e necessários à melhoria da qualidade de vida.
Reconhecer o saneamento básico (tratamento da
água, coleta de lixo e rede de esgotos) como técnica
que contribui para a qualidade de vida e para a
preservação do meio ambiente.
Identificar os processos de captação, distribuição
e armazenamento da água.
Verificar a necessidade do tratamento da água
que será servida à população.
Identificar os processos domésticos do tratamento
da água (fervura, filtração e cloração), relacionando-os
como condições necessárias à preservação da saúde.
Constatar a importância dos modos adequados
de destinação das águas servidas para a promoção
e manutenção da saúde.
Identificar o sistema de distribuição e esgotamento
de resíduos, observando suas condições e propondo
soluções para problemas.
Identificar alguns agentes poluidores da água,
do ar e do solo ocasionados pela ocupação humana.
Conteúdos:
Saneamento básico:
Água e abastecimento (captação, distribuição
e armazenamento da água).
Tratamento da água, reservatórios de água
e distribuição de água.
Destino das águas servidas (sistema
de esgotos) e tratamento de águas servidas.
Doenças transmitidas pela água poluída.
Poluição do mar.
Poluição do ar e suas conseqüências.
Fontes poluidoras (veículos, indústrias,
navios, entre outros).
Órgãos de controle de qualidade
do ar (Cetesb).
Materiais do lixo:
Materiais usados no dia-a-dia.
Reciclagem de materiais.
Coleta seletiva de lixo.
Tratamento do lixo.
Uso indiscriminado dos recursos naturais.

Ensino Religioso
Objetivos específicos:
Analisar os programas televisivos avaliando de maneira crítica os tipos de mensagens transmitidas, relacionando-as aos comportamentos observados no nosso cotidiano, idealizados pela mídia (massificação);
Participar nas atividades de sensibilizações/dinâmicas de grupo;
Analisar os comportamentos considerados inadequados,
Coletar de dados por meio de pesquisas e observações;
Conteúdos:
A desigualdade social no Brasil;
Aconsciência e a resposta pessoal e comunitária do ser humano;
A busca pelas explicações e pela ampliação de da visão de mundo;
O grupo de convívio, na localidade, na região e no país.

2º BIMESTRE

Língua Portuguesa
Objetivos específicos:
Perceber e utilizar o sistema de coesão e coerência
textual em textos diversos.
Contextualizar itens da gramática formal e funcional
(pontuação, ortografia, pronomes) a textos de diferentes
gêneros literários.
Utilizar o sistema ortográfico da língua escrita,
percebendo o estabelecimento das regularidades
(inferência de regras) e a constatação de irregularidades
(ausência de regras).
Indicar, por meio de vírgulas e outros sinais
de pontuação, listas, enumerações, diálogos e demais
situações presentes em diferentes tipos de texto.
Articular a busca de informações / pesquisa,
consultando fontes de diferentes tipos (jornais, revistas,
enciclopédias), com orientação do professor e, uso
de diversos acervos e biblioteca.
Usar o dicionário sistematicamente, com ajuda,
como suporte na elaboração, revisão e criação de textos
(orais e escritos).
Utilizar recursos eletrônicos para o registro
de situações de comunicação oral e escrita tanto
para documentação como para análise.
Elaborar textos narrativos, observando suas
características: enredo, personagens, ambiente, pontos
de vista do autor.
Utilizar textos extraverbais com códigos
não lingüísticos (formas, cores, sons, gestos).
Conteúdos:
Textos de gêneros diversos: contos, poemas,
canções, instruções, relatos / entrevistas, notícias
(via rádio e TV), palestras.
Textos extraverbais ( exemplo: música, pintura,
fotografia, escultura, dança etc.).
Leitura e interpretação de texto.
Produção de texto coletiva e individual.
Pesquisa.
Coesão e coerência textual.
Itens da gramática formal (na leitura
e produção de texto):
Separação de sílabas.
Palavras monossílabas, dissílabas,
trissílabas e polissílabas.
Pronomes pessoais.
Pronomes possessivos.
Sinais de pontuação.
Ortografia.
Dicionário (uso sistemático).

Matemática
Objetivos específicos:
Identificar as regularidades na seqüência para nomear,
ler, escrever, comparar, ordenar, compor e decompor
números naturais até unidade de milhar.
Compreender a estrutura do sistema de numeração
decimal (4ª ordem).
Analisar, interpretar e resolver situações-problema,
compreendendo as idéias da adição e subtração
e as técnicas operatórias convencionais.
Estabelecer relações entre adição e subtração.
Reconhecer a reversibilidade da adição e subtração,
relacionando essas operações como inversas entre si.
Reconhecer que diferentes situações-problema podem
ser resolvidas por uma única operação e que diferentes
operações podem resolver uma mesma situação-problema.
Analisar, interpretar e resolver situações-problema,
aplicando as técnicas convencionais da divisão.
Relacionar a metade, a terça e a quarta parte a partir
da divisão por 2, 3 e 4.
Reforçar e ampliar os significados da multiplicação.
Analisar, interpretar e resolver situações-problema,
aplicando as técnicas convencionais da multiplicação.
Relacionar o dobro, o triplo e o quádruplo
à multiplicação por 2, 3 e 4.
Reconhecer a reversibilidade da multiplicação e divisão,
relacionando estas operações como inversas entre si.
Identificar a partir do cálculo mental as propriedades
da multiplicação: a troca de lugar dos fatores não altera
o produto (3x9=9x3=27); o zero como fator (0x3=0);
o um como fator (1x3=3).
Identificar situações no cotidiano em que são
utilizados os símbolos romanos.
Reconhecer a origem, as regras e o funcionamento
do Sistema Romano de Numeração.
Conteúdos:
Sistema de numeração decimal até 9999:
Unidade de milhar.
Valor posicional.
Sucessor e antecessor.
Ordem crescente e decrescente.
Símbolos (>, <, = e ≠).
Par e ímpar.
Adição (até 9999):
Com e sem reagrupamento.
Com duas ou mais parcelas.
Nomenclatura.
Propriedades.
Operação inversa.
Subtração (até 9999):
Com e sem reagrupamento.
Nomenclatura.
Propriedades.
Operação inversa.
Divisão (999):
Exata e não exata.
Divisor até 9.
Dividendo até 999.
Operação inversa.
Metade, terça e quarta parte.
Multiplicação (9999):
Multiplicador com um ou mais algarismos.
Produto até 9999.
Por 10, 100 e 1000.
Propriedades.
Operação inversa.
Dobro, triplo e quádruplo.
Números Romanos.
Corpos redondos:
Cone, cilindro e esfera.
Medidas:
Comprimentos: metro, centímetro e quilômetro.
Massa: grama, miligrama e quilograma.

História
Objetivos específicos:
Explorar a realidade da cidade de Joinville, seu papel
administrativo, econômico e seu crescimento urbanístico.
Reconhecer a industria como fator
de desenvolvimento.
Reconhecer alguns dados históricos sobre figuras importantes em nossa cidade e estado.
Conhecer as atividades comerciais da cidade e estado.
Identificar transformações e permanências
nas vivências culturais (materiais e artísticas)
da coletividade no tempo.
Conteúdos:
Elevação do desenvolvimento econômico da cidade de Joinville e estado.
Identificar os fatores econômico da cidade e estado
O comércio na cidade e estado.
Manifestações artísticas e culturais: (danças, costumes e alimentação).

Geografia
Objetivos específicos:
Conceituar relevo, hidrografia, vegetação e clima.
Identificar as diversas formas de relevo e da hidrografia
dos elementos na paisagem natural do município e estado.
Compreender que as águas de nossas praias
são parte do Oceano.
Diferenciar: mar, rios, lagos, lagoas, cachoeiras
e outros.
Reconhecer as diferentes formas de relevo
da região.
Caracterizar Joinville, considerando os aspectos
sociais, os elementos biofísicos da natureza e as
possibilidades de utilização dos recursos naturais.
Reconhecer a importância de uma atitude responsável
de cuidado com o meio em que vive.
Concluir sobre a necessidade da reciclagem
do lixo-limpo como forma de conter o desgaste
dos recursos naturais.
Reconhecer que os desmatamentos são um fator
de desequilíbrio da natureza.
Reconhecer a importância do reflorestamento
como forma de preservação ambiental.
Valorizar formas não predatórias de exploração,
transformação e uso dos recursos naturais.
Conteúdos:
Aspectos físicos da região:
Relevo (planície, planalto, serra, morro,
encostas e outros).
Hidrografia (oceano, rios, lagos, lagoas,
cachoeiras, estuário, outros).
Litoral.
Vegetação.
Clima.
Preservação do meio ambiente:
Recursos naturais.
Destruição da vegetação original (desmatamento).
Reciclagem.
Reflorestamento.

Ciências
Ojetivos específicos
Observar fenômenos e objetos, formular perguntas
e suposições sobre o tema em estudo.
Buscar e coletar informações por meio da observação
direta e indireta, da experimentação, de entrevistas e visitas.
Organizar e registrar as informações utilizando desenhos,
esquemas, fichas de descrição, listagem e textos.
Realizar manejo de material e montagens experimentais.
Ampliar o vocabulário utilizado em Ciências
para descrição dos fenômenos observados.
Investigar as relações entre água, calor, luz, seres
vivos, solo e outros materiais, a fim de entender
os aspectos da dinâmica ambiental.
Reconhecer a água como componente não vivo
do ambiente e necessária para a sobrevivência de todos
os seres vivos.
Identificar e compreender as relações da água
com os seres vivos.
Investigar sobre as formas como a água se apresenta
no ambiente, identificando os diferentes lugares onde
é encontrada (mares, rios, lagos, geleiras, reservatórios)
e verificando algumas fontes locais de água.
Verificar que a água na natureza se encontra
misturada a outros materiais (água salgada, doce, suor,
urina, bebidas) reconhecendo suas características (cheiro,
sabor, cor) e propriedades.
Comparar diferentes misturas na natureza, identificando
a presença da água, para caracterizá-la como solvente.
Identificar a presença da água no planeta e suas
transformações, verificando que a água muda de estado
e circula no ambiente, pela observação da ocorrência
de nuvens, chuvas, orvalho, granizo.
Compreender o que é mudar de estado
e o que significa sólido, líquido e gasoso.
Estabelecer a relação entre troca de calor e mudança
de estado físico da água, concluindo, pela idéia de
transformação, que a água é a mesma, pois o que muda
é a forma como se apresenta (estado físico).
Observar as mudanças do estados físicos da água
e relacioná-las com o ciclo da água na natureza.
Identificar as mudanças de estados envolvidas
no ciclo da água.
Verificar a importância da água potável para o
consumo humano e para a higiene pessoal e ambiental.
Estabelecer relação entre falta de asseio corporal e da
higiene ambiental com a ocorrência de doenças no homem.
Verificar as medidas para evitar o desperdício de água.
Conteúdos:
Transformações no ambiente:
Presença da água na natureza.
Características e propriedades da água.
Importância da água para plantas, animais e pessoas.
Animais e plantas aquáticas.
A água como solvente (misturas).
Estados físicos da água.
Mudanças de estados físicos.
Experiências simples da mudança de estado da água.
Ciclos da água na natureza.
Higiene pessoal e ambiental.
Água potável.
Água contaminada.

Ensino religioso
Objetivos específicos:
Disponibilizar o diálogo;
Manifestar opiniões, sentimentos respeitando as opiniões e sentimentos dos outros;
Avaliar o próprio comportamento antes da maneira de encarar os seus erros e os dos outros;
Reconhecer do valor da alteridade.
Conteúdos:
A paz começa com cada um de nós;
Atitudes que promovem a paz entre as pessoas no mundo;
Lembranças importantes da vida das pessoas (fotos, livros, medalhas e outros objetos significativos);
As pessoas têm diferentes idéias.

1º BIMESTRE

Língua Portuguesa
Objetivos específicos:
Perceber e utilizar a linguagem como elemento
articulador das situações sociais cotidianas.
Escutar ativamente diferentes textos produzidos
na comunicação direta ou mediada por telefone, rádio
ou televisão, atribuindo significado e identificando
(com ajuda) a intencionalidade do produtor.
Reconstruir o sentido de textos diversos
nas produções oral, escrita e extraverbal.
Utilizar gêneros literários diversos, contextualizando
itens da gramática formal e funcional.
Articular a busca de informações/pesquisa,
consultando fontes de diferentes tipos (jornais, revistas,
enciclopédias), com orientação do professor e uso
de diversos acervos e biblioteca.
Usar o dicionário sistematicamente, com ajuda,
como suporte na elaboração, revisão e criação de textos
(orais e escritos).
Utilizar textos extraverbais com códigos
não lingüísticos (formas, cores, sons, gestos).
Utilizar recursos eletrônicos para o registro de
situações de comunicação oral e escrita tanto para
documentação como para análise.
Conteúdos:
Linguagem e participação social (leituras variadas
e interpretação).
Textos de gêneros diversos: poemas, canções,
instruções, notícias (via rádio e TV).
Textos extraverbais (exemplo: fotografia, música,
dança, pintura, escultura e outros).
Leitura e interpretação de texto.
Produção de texto coletiva e individual, oral e escrita.
Reconstrução de sentido de textos (semelhanças
e diferenças).
Pesquisa.
Itens da gramática formal (na leitura e produção
de texto):
Substantivo próprio / comum, simples / composto.
Adjetivo.
Número do adjetivo (singular / plural).
Sinônimo / antônimo.
Dicionário (uso sistemático).

Matemática:
Objetivos específicos:
Reforçar, ampliar e aplicar, na solução de problemas,
os conceitos e as técnicas operatórias.
Conceituar a operação da divisão, associando-a
às idéias de repartir em partes iguais e medir, por meio
de situações do cotidiano.
Analisar, interpretar e resolver situações-problema,
aplicando as técnicas convencionais
da divisão.
Estabelecer relação entre multiplicação e divisão.
Ler, escrever, comparar e ordenar números ordinais.
Reconhecer a existência dos números ordinais,
no contexto diário.
Descrever a posição de objetos no espaço,
a partir da observação de maquetes, fotografias, gravuras,
guias do bairro e da cidade, mapas, globo terrestre,
empregando a terminologia referente às noções
de grandeza, posição, direção e sentido.
Representar a posição de objetos no espaço, por meio
de construção de maquetes, desenhos e itinerários.
Representar a movimentação de objetos no espaço,
evidenciando os deslocamentos realizados.
Identificar propriedades relativas à posição
dos elementos de uma figura - paralelismo
e perpendicularismo, por meio de observação de objetos,
trajetos e dobraduras.
Contúdos:
Revisão de operações e conceitos (até 999):
Tabuadas até 9.
Adição:
Com duas ou mais parcelas.
Nomenclatura.
Propriedades: sem uso obrigatório da nomenclatura.
Subtração:
Nomenclatura.
Multiplicação:
Multiplicador até 9.
Produto até 999.
Multiplicando até 3ª ordem (centena).
Divisão:
Exata e não exata.
Divisor até 9.
Dividendo até 99.
Divisão (500):
Exata e não exata.
Divisor até 5.
Dividendo até 500.
Números ordinais (20 a 50).
Posições de uma reta (horizontal, vertical e inclinada).
Posições de duas retas (paralelas, perpendiculares
e concorrentes).

História
Objetivos específicos:
Valorizar as ações coletivas que repercutem
na melhoria das relações pessoais e grupais.
Enfatizar o respeito mútuo, a solidariedade, a justiça
e o diálogo, perante as opiniões dos colegas de classe.
Explorar a realidade local anterior à chegada
dos europeus.
Identificar os primeiros contatos entre os portugueses
e os indígenas.
Discutir a relação índios x portugueses
Identificar as expedições como meio que os
portugueses empregaram para conhecer e explorar
as terras descobertas.
Conhecer a história da origem do município de Joinville
e o seus fundador.
Conteúdos:
A necessidade das regras para se viver
em grupo (combinados gerais).
A pré-história:
Homens de sambaqui.
As nações indígenas que habitavam a região
e o planalto.
A chegada dos portugueses em terras brasileiras.
A fundação da cidade de Joinville.

Geografia
Objetivos específicos:
Saber utilizar a linguagem cartográfica para obter
informações e representar espacialidade dos fenômenos
geográficos da localidade.
Produzir roteiros simples, considerando a linguagem
cartográfica com relações de distância, direção
e sistemas de cores (legenda).
Construir mapas e plantas, representando os lugares
de convívio do educando.
Interpretar plantas e mapas através de suas legendas.
Localizar graficamente o município de Joinville no mapa do estado de
Santa Catarina e no do Brasil.
Identificar os limites do município onde mora
ou estuda.
Conhecer e destacar os municípios que fazem parte
da cidade de Joinville, observando a inter-relação
econômica e cultural existente.
Observar que os municípios fazem parte
de um estado.
Caracterizar área continental e insular.
Reconhecer as zonas que compõem um município
relacionando-as a seus diferentes aspectos.
Conhecer e compreender algumas das conseqüências
das transformações da natureza causadas pelas ações
humanas, no local e em paisagens urbanas e rurais.

Conteúdos:

Introdução à linguagem cartográfica
(Rosa-dos-ventos, legenda).
Leitura inicial de mapas físicos e políticos, atlas,
planta e globo terrestre, planisfério, noção de escala.
O município de Joinville
Localização geográfica.
Limite..
Região sul do Brasil e litoral.
Área extensão de terras cidade e estado.
Zona rural e urbana.

Ciências
Objetivos específicos:
Pesquisar, coletar e organizar informações obtidas
em diferentes fontes (revistas, jornais, livros
paradidáticos), sobre o tema em estudo.
Registrar as informações por intermédio de desenhos,
esquemas, tabelas, listas e textos mais elaborados.
Realizar trabalho de campo para observação,
manipulação, coleta de materiais, como amostras
de diferentes tipos de solo (vasos, jardim, quintal,
praia, mangue), utilizando diferentes critérios para
classificá-los.
Vivenciar situações experimentais simples
para resolução de problemas.
Comparar as condições do solo, em diferentes
ambientes.
Compreender que os solos têm componentes comuns
(areia, argila, água, ar, restos de seres e seres vivos,
inclusive os decompositores).
Perceber as semelhanças e diferenças entre alguns
tipos de solo (pelas características de cada tipo,
diferenças de sua composição, sua relação com a água,
a presença ou ausência de matéria orgânica).
Identificar o tipo de solo mais comum em nossa região
(arenoso), por meio de suas características e propriedades.
Reconhecer alguns materiais retirados do solo
e utilizados na construção de moradias, fabricação
de objetos (areia, argila, rochas).
Observar os efeitos da chuva no solo em diversas
situações (rua de terra, de asfalto, barrancos, jardins,
praias, morros) e suas conseqüências.
Reconhecer a influência da água e do vento no
processo de erosão do solo e da cobertura vegetal
na prevenção da erosão causada pela chuva.
Constatar a presença do ar no solo e sua relação
com os seres vivos (plantas e animais).
Avaliar a influência do solo na vida dos animais
e vegetais.
Identificar as intervenções do homem no ambiente, e
as conseqüências das formas inadequadas de ocupação.
Reconhecer algumas características do solo fértil e
identificar algumas técnicas utilizadas pelo homem para
melhorar as condições do solo para o plantio.

Conteúdos:

O solo e sua ocupação.
Tipos de solo.
Características do solo (cor, granulação
e permeabilidade).
Materiais utilizados pelo homem, retirados do solo.
Relação solo-água-seres vivos.
Erosão e fertilidade.
Vegetação e erosão.
Solo e ar.
Ocupação urbana e rural.
Solo fértil.
Cuidados com o solo (adubação, arejamento,irrigação, drenagem).

Ensino Religioso
Objetivos específicos:
Participação nas atividades de sensibilizações de grupo;
Aprender a ouvir o outro (escuta profunda);
Interiorização e vivência de valores;
Análise e discussão sobre tema apresentado em filme assistido, relacionando-o ao cotidiano;
Análise de programas televisivos avaliando de maneira crítica os tipos de mensagens transmitidas, relacionando-as aos comportamentos observados no nosso cotidiano, idealizados pela mídia (massificação);
Conteúdos:
Riqueza das diferenças;
O diferente é interessante;
Participar é crescer junto com os outros;
A felicidade somos nós que conquistamos;
Os valores nos aproximam;
O valor da liberdade e dignidade humana;
Nas diferenças nos completamos;